Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/336146
Type: DISSERTAÇÃO DIGITAL
Degree Level: Mestrado
Title: Quem é o sujeito dos direitos humanos? : a constituição dos direitos na cena pública em Hannah Arendt, Giorgio Agamben e Jacques Rancière 
Title Alternative: Who is the Subject of Human Rights? : the Constitution of Rights in the Public Scene in Hannah Arendt, Giorgio Agamben and Jacques Rancière
Author: Cardoso, Andréia Fressatti, 1994-
Advisor: Koerner, Andrei, 1962-
Abstract: Resumo: O objetivo desta dissertação é apresentar o debate teórico recente sobre o sujeito dos direitos humanos, a partir da perspectiva teórica de três autores: Hannah Arendt, Giorgio Agamben e Jacques Rancière. O debate contemporâneo sobre quem é o sujeito dos direitos humanos tende a retomar a categoria do "direito a ter direitos", tanto para atribuir a necessidade de um fundamento para tais direitos quanto para questionar a necessidade de um fundamento, ou de um sujeito que seja anterior à demanda por direitos na cena pública. Rancière (2004) retoma esta categoria, implicando-a de modo distinto: o "direito a ter direitos" de Arendt cria uma armadilha ontológica em que só possuem direitos aqueles que já têm direitos de cidadania, ideia que seria continuada por Agamben. Com este texto, Rancière se insere no debate contemporâneo levantando algumas questões sobre a leitura e desenvolvimento categórico de Arendt e Agamben, bem como parece propor uma forma distinta de se conceber a titularidade dos direitos. A fim de analisar como se dá esta inserção, trabalhamos com duas hipóteses: há elemento distintivo na categoria de Rancière e sua formulação parece permitir maior potencial de agência ao sujeito de direitos. Para tanto, realizamos dois movimentos a análise estrutural dos argumentos dos autores em separado, seguida de uma análise hermenêutica moderada, estabelecendo comparações e contrastes. Concluímos que Agamben apresenta alguns elementos de continuidade de Arendt, porém seus desenvolvimentos teóricos específicos o levam a uma direção que não pode ser atribuída à autora. Todavia, a proposta de Rancière para repensar os direitos humanos e seu sujeito, que é distinto, independe de sua interpretação de Arendt e Agamben. Além disso, o modo como ele concebe suas categorias permite maior agência ao sujeito de direitos e amplia seu horizonte de possibilidades de experiências no mundo

Abstract: The aim of this dissertation is to present the recent theoretical debate on the subject of human rights, from the theoretical perspective of three authors: Hannah Arendt, Giorgio Agamben and Jacques Rancière. The contemporary debate about who is the subject of human rights tends to retake the category of the "right to have rights", both to attribute the need for a foundation for such rights as to question the need for a foundation, or for a subject who is prior to the demand of rights on the public scene. Rancière (2004) takes up this category, implying that it creates an ontological trap in which only those who already have citizenship rights are entitled, an idea that would be continued by Agamben. With this text, Rancière enters into this contemporary debate, raising some questions about the reading and categorical development of Arendt and Agamben, as well as proposing a different conception of the ownership of rights. In order to analyze how this insertion occurs, we developed two hypotheses: there is a distinctive element in Rancière's political thought, and Rancière's formulation seems to allow greater agency potential to the subject of rights. Therefore, we performed a structural analysis of the authors¿ arguments separately, followed by a moderate hermeneutic analysis, establishing comparisons and contrasts. We conclude that Agamben presents some elements of Arendt¿s continuity, but his specific theoretical developments lead him in a direction that cannot be attributed to her. However, Rancière's proposal to rethink human rights and its distinct subject is independent of his interpretation of Arendt and Agamben. Moreover, the way he conceives his categories allows greater agency to the subject of rights, broadening his possibilities of experiences in the world
Subject: Arendt, Hannah, 1906-1975
Agamben, Giorgio, 1942-
Rancière, Jacques, 1940-
Direitos humanos
Ciência política
Language: Português
Editor: [s.n.]
Citation: CARDOSO, Andréia Fressatti. Quem é o sujeito dos direitos humanos?: a constituição dos direitos na cena pública em Hannah Arendt, Giorgio Agamben e Jacques Rancière . 2020. 1 recurso online (123 p.). Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP.
Date Issue: 2020
Appears in Collections:IFCH - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Cardoso_AndreiaFressatti_M.pdf1.41 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.